Pages

O segredo da felicidade...


- Qual o segredo da felicidade? – a pergunta me pegou de surpresa. De fato, as coisas mais bobas às vezes me parecem as mais interessantes. Nunca tinha parado pra pensar em uma resposta para essa pergunta, mas agora cá estou eu, encarando-a... É claro que não consegui pensar em uma resposta plausível. Mas tentei.
- Vou te responder... – disse, mas não tinha a resposta na ponta da língua. Olhei para aquela criança que tinha me feito a pergunta, e a expressão dela era de mais pura inocência. Não pude evitar... – Feche os olhos! – continuei, lógico que teria que apelar para a espontaneidade e minha péssima capacidade de improvisação.
A criança me olhou confusa, mas em seguida fechou os olhos, obediente.
Segurei a mão dela, e, sem mais palavras, sai caminhando, abrindo caminho por entre vários pacientes. Alguns que ouviram a pergunta da menina e ouviram também que prometi responder, começaram a me seguir; de crianças a idosos. Alguns começaram a me seguir, ansiosos.
Meu coração, claro, pulsava cada vez com mais fervor, e pior, eu não sabia o que fazer! Pela primeira vez em toda a minha carreira eu não sabia o que fazer.
- Você sente minha mão na sua? – perguntei da menina; ela balançou a cabeça afirmativamente. – Ainda de olhos fechados, você consegue ver nossas mãos se tocando?
Lógico que não. Eu sabia a resposta, mas queria que todos que agora me seguiam, entendessem aonde eu estava querendo chegar. Enfim, estava conseguindo ser coeso, apesar de confuso. Caminhamos todos pelo corredor principal do hospital, onde havia várias salas repletas de leitos que sustentavam os pacientes de casos mais graves.
E mais curiosos me seguiam. Principalmente depois de atravessarmos a sala de espera, e irmos de encontro a porta de saída do hospital.
Tão logo estávamos sob a luz matinal do sol, e logo depois, no pequeno jardim do próprio hospital.
- Agora, Amanda, que cheiro está sentindo?
Ela inalou suavemente até encher seus pulmões. O engraçado é que muitos dos que tinham nos seguido também fizeram o mesmo.
- Sinto o cheiro de muita coisa. É um cheiro bom! – disse ela, sorrindo.
Foi tudo espontâneo, pois no mesmo momento um passarinho começou a assobiar em uma árvore próxima, e pedi para Amanda me relatar tudo o que estava sentindo. Sem perceber, Amanda utilizou todos os sentidos dela, involuntariamente, e por fim, pedi para ela abrir os olhos.
E, como se tudo aquilo fosse novo, ela sorriu. E, diante de seu sorriso, me derreti completamente e a abracei. Enquanto todos aqueles pacientes e não-pacientes estavam nos observando, eu os fitei e disse em alto e bom som:
- Isso tudo é o segredo da felicidade.
Amanda pulou nos meus braços de tanta euforia, e todos voltamos para o hospital sorrindo, acreditando que o que importava mesmo é que estavam vivos para ver um momento desse acontecer. Mesmo estando em fase terminal de um câncer, que outrora consumiu a felicidade de cada um deles.
É fato também que esse foi o momento mais importante da minha carreira de Oncologista. Porque eu também aprendi, e sofri, e sorri.
Neste mesmo dia, um pouco mais tarde, perdi Amanda, minha única filha, para a leucemia. Mas antes disso, consegui ainda ver um sorriso nos lábios da minha pequena menina...

15 comentários:

Marcelo disse...

De fato é uma bela história.
Drama, surpresa, profundidade... Pena que o texto me lembrou o fraco Augusto Cury. Porém, o diferencial de suas história foi o final triste.

Parabéns pelo texto bem escrito

Gemima Diniz disse...

Gostei friend :D

Thyago Mota disse...

*-*

Pamela Lima disse...

Muito linda a historia,fiquei surpresa com o desfecho da historia . mas adorei! Eu já passei por algo mais ou menos assim,voce sabe! E o segredo da felicidade é viver,admirar e aproveitas as coisas mais bobas que nos acontece a cada segundo (: Paarabens Thyzinho *--*

Anônimo disse...

Oi...*-*
Fantástico...
Fantástico!

Vou deixar para vc aqui uma coisinha que escrevi, leia por favor o último texto aqui

http://obraspoeticas.webnode.com.pt/ariane-uvas/

Débora disse...

Caramba... Chorei no final.
Muito lindo.

Samuel M.N.B disse...

Ei, segue lá o meu blog tbm
E comenta

Driih disse...

que liindo Thy
um texto pequeno e que diz tanta coisa, eu arrepieii, lindo demais; muita gente deveria passar aqui no seu blog e dar uma lidinha, e tentar entender que a felicidade pode ser mais simples que um piscar de olhos...
como sempre, vc surpreendendo

Yashmiin'Santos disse...

- mt lindoo *--*
obras do Thyago , simplimente admiro oque ele faz (ý
emocionante ;*

Sandro Batista disse...

Nossa, que isso??? Espetacular! Muito inspirado e realmente emociona!

Parabéns!

Agny Tayná disse...

Linda História, apesar de ser bem triste...
Por mais curta q nossa vida seja, o importante é podermos desfrutar e viver intensamente esses pequenos, simples porém belos momentos... Se tivermos essa capacidade para valorizarmos esses momentos, poderemos dizer um dia, q apesar dos problemas e dificuldades da vida, nós fizemos com q a nossa valesse a pena, e seremos com certeza, pessoas felizes e plenas !
Parabéens Manoo
Beeijooo

thyagoo mota disse...

obriiiiiiiigadoo geente :P

Dulce Barroso disse...

Pelas palavras do thyago, creio que todos compreendam pq eu escolhi fazer isto para o resto da minha vida!!! É claro que eu vou sentir a perda de muitos pacientes, mas ao mesmo tempo verei muitos sairem de lá felizes, e eu posso dizer q eu dei parte da felicidade a eles, os ajudei a retomar uma vida normal, e fazer simples sorrisos em suas faces!
Muito lindo Thyago!!!
Parabens

Thyago Mota disse...

Sim Dulce, seremos Oncologistas o/

Angelilton de Moraes disse...

Bela história, pude me deleitar em suas palavras com tamanho grau de intensidade... Sucessos.

Postar um comentário

comentem :